Testamos a Fiat Toro Volcano 2020

0



A Fiat teve um grande lançamento nos últimos anos, que foi a Toro, esse lançamento foi muito bem aceito, pois se tratava de uma categoria recém lançada e tem como rival a Renault Oroch. Mas a Toro chamou mais atenção pelo design totalmente inovador e opção do motor 4×4 diesel.

Mas apesar disso tudo, a Toro sofreu algumas críticas nas opções Flex, pois usa o mesmo motor usado no Argo HGT. Não que esse motor seja ruim, pelo contrário, é um excelente motor porém para o Argo e não para a Toro. Isso é bem claro na questão peso x potência. O motor não gerava bem pelo peso e seu câmbio de 6 marchas, não ajudava no desempenho. Com isso a resposta é clara, alto consumo de combustível.


Volcano 2020


A versão Volcano é um caso a parte, totalmente diferente. Podemos até dizer que é outro carro.
Então vamos falar um pouco sobre a versão diesel da picape.

Testamos a versão Volcano 2020 por 7 dias e durante esses período testei ela na cidade e principalmente na estrada pegando um pequeno circuito off road.  



Vamos começar a falar o que mudou na linha 2020
.


Esperavamos uma mudança mais expressiva, era esperada um novo visual parecido com o conceito Fastback apresentado em 2018 no Salão do Automóvel de São Paulo. Mas essa mudança vai ficar para depois.

Mas a principal mudança está na dianteira,  pois recebeu um facelift com novo para-choque chamado pela Fiat de “overbumper” sendo o principal diferencial da Toro.

Outra mudança é no interior com a nova central de 7 polegadas,  que por sinal já era para ter mudado a tempo.

Agora falando sobre o desempenho, a versão Volcano 4×4 diesel usa o motor 2.0 turbo diesel de 170 cv que faz toda a diferença.


O que vem de série?

7 Air Bags (motorista, passageiro, laterais, cortina e joelho), Apoia-braço central traseiro com porta-copos, Áudio streaming, Banco do passageiro rebatível e porta-objeto, Banco motorista com regulagem elétrica (assento em 8 posições), Câmbio automático de 9 velocidades, Console central bicolor, Faróis com sistema DRL, Guarnições abaixo dos vidros cromadas, Hodômetro digital (total e parcial), Keyless entry’n’go, Luzes ambiente em LED, Moldura dos alto-falantes com pintura exclusiva, Moldura dos faróis de neblina cromadas, Moldura inferior das portas com frisos cromados, Navegação GPS, Partida remota, Retrovisor interno eletrocrômico, Rodas de liga leve 6.5 x 17″ + Pneus 225/60 R17, Sensor crepuscular, Sensor de chuva, Soleira metálica e Telecomando para abertura e fechamento das portas e vidros.

Opinião

Eu tinha dirigido a versão 1.8 Flex e confesso que não me chamou tanto a atenção, pois ela era muito presa com esse motor.
Já a versão a diesel é bem melhor pois o motor 2.0 turbo diesel tem excelente retomadas, pois além disso conta com o câmbio automático de 9 velocidades.

Fui ao interior do Espírito Santo com ela em uma região de muitas montanhas e pude ver o quão potente é esse motor. Fiz várias ultrapassagens em “local seguro” com a Toro e ela se saiu muito bem, fazendo as trocas na hora certa. Ainda conta com borboletas para trocas manuais, o que ajuda no caso de uma decida para que possa reduzir, já que o câmbio automático desenvolve mais na decida.

Não testei o 4×4 no extremo mas consegui usar em algumas ocasiões.  Até o ponto que testei se saiu muito bem.

O carro é bem confortável,  tem bom isolamento acústico, apesar de que gosto de ouvir o som do motor diesel em funcionamento, mas ela é bem silenciosa.

O consumo me agradou, na estrada consegui uma média de 13.5 km/l e na cidade consegui uma média de 10 km/l. Lembrando que esses números são no diesel.

O preço da Fiat Toro Volcano parte dos R$155.990.

Uma outra opção com motor Flex é o 2.4 Tigershark que gera até 186 cv. Não posso dizer como é seu comportamento pois ainda não o testei, mas pode ser uma solução.

Outra solução é a recém lançada versão endurece que conta com motor 1.8 Flex e câmbio manual. 


LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here